Democracia para os ricos

No exercício do magistério, tive a oportunidade de observar que não existe democracia no Brasil. Desde o nascimento, a criança já convive com as desigualdades na escola, na saúde, na vida. Como nivelar um aluno da escola pública com àquele que teve toda a estrutura para estudar nos melhores colégios, fez intercâmbios e sempre teve uma alimentação rica em proteína e abundante.

Aliado a tudo isso tem a questão da orientação familiar. Como um aluno que tem o péssimo hábito de gostar de músicas (?) sem sentido, sem poesia, que não levam à reflexão podem ser aprovados em vestibulares das universidades públicas? Como pensar bem, se ouve-se mal? Como resolver questão de provas de universidades públicas, onde constam textos inteligentes, se o aluno desorientado gosta do chamado sertanejo universitário? Assim a possibilidade em conseguir aprovação fica mais difícil.

Com o tempo perdido, fica difícil olhar para a própria imagem refletida no espelho. Vem a imagem da derrota por culpa da própria pessoa, dos políticos e da democracia (?) no Brasil.

Lembro que fui procurado por um ex-presidiário que pediu um emprego. Durante quatro anos perambulou pelas ruas de Manaus, mas sem esquecer o que sofreu durante um ano de detenção. Seu reflexo remontava ao ocorrido na unidade prisional. O crime por ele cometido se restringia à tentativa de roubar um remédio para sua mãe doente. Se tivesse apoio jurídico, provavelmente não seria encarcerado. A democracia (?) no Brasil só funciona para os poderosos. Com ajuda de amigos consegui um emprego de motorista para ele. Passou a ter dignidade.

Se o ex-presidente Lula não tivesse desviado milhões, ou bilhões, para sua conta, certamente já estaria preso. Ele roubou, “matou” sonhos, enganou uma massa de ignorantes políticos, mas continua ameaçando a Justiça. E, esta, de joelhos, assiste tudo passivamente. Que democracia é esta? Deixa os pobres mais pobres, mais pessoas marcadas como se fossem um rebanho manipulável. E a situação não se restringe a Lula. Todos os políticos líderes ou do pequeno clero estão atolados até o pescoço em uma lamaçal de corrupção.

Estamos sem saída. Quem é contra o sistema é rotulado de direita. Não acredito em direita ou esquerda, acredito em honestos ou desonestos, independente de que lado estejam.

*Yanna Bach é professora aposentada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *