Gilmar quer guerra

Judiciário em crise, inquietação nas Forças Armadas e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, acusado de receber propinas da JBS e da organização criminosa do radialista Anthony William Matheus de Oliveira, mais conhecido como Anthony Garotinho, formam um enredo sombrio da atual história do Brasil. O STF não quer rasgar a própria carne e “expulsar” Gilmar Mendes.

O município de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, base política do ministro Gilmar Mendes, está tomada por pistoleiros que perseguem juízes federais da primeira instância. Estes estão circulando em carros blindados e cercados de seguranças armados. Garotinho está “tocando” o terror, tudo com a anuência dos ministros do STF.

Um vídeo que está circulando na internet, mostra a preocupação de um juiz federal com o caos na Justiça liderado por Gilmar Mendes. O ministro teria recebido uma grande mala de dinheiro para liberar toda a organização criminosa de Garotinho. No áudio, o juiz denuncia que tudo foi acertado na escuridão com Gilmar, inclusive ele teria prometido mandar retirar a tornozeleira eletrônica de Rosinha Garotinho.

Por que Gilmar Mendes não sofre um impeachment? Por que os outros ministros do STF não o afastam? Estão também comprometidos? Nos Estados Unidos, certamente Gilmar Mendes já teria sido condenado à prisão pérpetua. Lá não existe o famigerado foro privilegiado, que simplesmente consiste numa segregação racial.

Se os militares chegarem ao poder, tenha certeza que o STF será dissolvido e a maioria dos ministros será presa. Os generais não suportam mais os crimes jurídicos cometidos Gilmar Mendes. Ele está chamando as Forças Armadas para um confronto. Então é hora de aceitar o desafio. Se o STF não afastar Gilmar Mendes, as FFAA têm o direito legítimo de intervir.

Confira o vídeo no link: http://www.topbuzz.com/article/i6502648052858225162?impr_id=6502718065799596298&gid=6502648060378611977&user_id=6404965593883083786&app_id=1116&c=wa&language=pt

*Yanna Bach é professora aposentada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *