“PT abandonou o Incra”

MANAUS – deputado estadual Augusto Ferraz (DEM) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) na manhã desta quarta-feira (13), para lamentar abandono do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) pelo Governo Federal durante o Governo do Partido dos Trabalhadores (PT).

Para o deputado o governo do PT representou avanços em várias áreas, mas deixou a desejar na administração do Incra. “O PT foi muito bom em muitas áreas, mas não tinha o direito de abandonar com a grande autarquia do agronegócio. Nove patrulhas que o Governo Federal enviou para o Amazonas e o PT acabou com as patrulhas mecanizadas, sem nenhum tipo de infraestrutura. Há doze anos o Instituto não recebia um centavo para manutenção de ramais e estradas para elevar a economia ”, afirmou, referindo-se ao Incra.

Em aparte o deputado estadual Sidney Leite (PROS) reforçou o discurso do parlamentar, lembrando o fracasso do Programa Terra Legal no Amazonas. “Nós tivemos um programa muito bom, mas que não aqui no Amazonas, onde não saiu do papel: o Terra Legal, que trata da regularização fundiária. Nós não víamos os títulos chegarem às mãos dos produtores, quanto às estradas, os pais não conseguem levar seus filhos à escola, as ambulâncias não entram nas comunidades, porque é inacessível”, afirmou.

Já o deputado estadual Orlando Cidade (Podemos) citou a demora da implantação do Programa Luz para Todos nos assentamentos. “Trocar a poronga pela energia elétrica é o sonho de todo homem do campo, mas o Luz para Todos ainda não chegou na casa de todos os moradores da calha do Rio Negro, por exemplo. Tem de chegar a todos os moradores do interior do Amazonas ”, afirmou, sugerindo a energia solar como alternativa barata de energia elétrica para o interior.

O deputado estadual José Ricardo (PT) rebateu as críticas de Ferraz, argumentando que o Governo Federal não é o único responsável pelos assentamentos. “A responsabilidade pelos assentamentos é dos três poderes, mas como envolve disponibilização de recursos, um fica jogando para o outro. Mas no Governo Lula-Dilma foi quando se disponibilizou mais equipamentos agrícolas, no entanto os prefeitos não queriam receber os equipamentos porque não queriam arcar com os custos de manutenção das máquinas”, justificou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *