CREA atesta segurança em obra na avenida Djalma Batista

Manaus (AM) – Fiscais do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM) realizaram nesta quarta-feira, 14/3, uma vistoria na obra executada pela Prefeitura de Manaus para a implantação de uma nova rede de drenagem na avenida Djalma Batista, zona Centro-Sul. O laudo do órgão atestou a regularidade na segurança dos trabalhadores e no uso do material aplicado na obra.

Segundo o presidente do Conselho, Afonso Lins, a fiscalização atende uma demanda da Câmara Especializada de Engenharia Civil (CEEC). A visita ao canteiro de obras na Djalma Batista ocorreu após o Conselho receber algumas informações destorcidas sobre a execução dos serviços no local.

“Não encontramos nenhuma irregularidade em relação à segurança dos trabalhadores, todos se encontram com EPIs, equipamentos de proteção individual, e também avaliamos a qualidade do material que está sendo utilizado. A obra está dentro das normas”, garantiu Afonso Lins. “Encontramos pequenos desacordos em relação às Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs), quanto aos cargos e funções de profissionais da própria secretaria, o que é normal em uma obra grande como essa. Segundo o encarregado da obra, todas as providências relacionadas à adequação serão tomadas no decorrer desta semana”, completou.

O engenheiro do Crea, responsável pela CEEC, Afonso Aires, também esteve no local e ressaltou que o trabalho do Crea como órgão de fiscalização é acompanhar as obras no quesito da qualidade do serviço, segurança dos trabalhadores e regularidade do material empregado. “Estamos aqui para evitar que o dinheiro do contribuinte seja desperdiçado. E, na nossa avaliação, destacamos que a prefeitura está com a regularização correta junto ao Crea”, afirmou.

O superintendente da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Orlando Holanda, disse que a segurança sempre foi uma preocupação do órgão, desde o início da obra, e os serviços para implantação da nova rede de drenagem têm sido executados da forma mais cautelosa e segura possível.

“Estamos tendo todos os cuidados de segurança. A questão que temos aqui é de um igarapé canalizado na década de 70 e construções que foram feitas por cima dele. Estamos substituindo um trecho muito crítico da tubulação, que estava totalmente esmagada, com isso, descartamos a possibilidade de um colapso grande que colocaria em risco a avenida e as habitações do entorno”, explicou Orlando Holanda.

Status da obra

Sem estipular prazos para finalizações dos serviços, o superintendente da Seminf destacou que os trabalhos no local estão sendo feitos de forma dinâmica, pois a tubulação está a seis metros de profundidade da superfície. “Estamos diariamente equacionando problemas para que possamos fazer o melhor. Não podemos apontar datas, o que garantimos é que estamos empenhados para que tudo continue sendo feito da forma mais célere e segura”, pontuou.

Atualmente, cerca de 60% da implantação da nova rede de drenagem já foi instalada. Nessa fase dos trabalhos está sendo retirada a antiga tubulação, construída há cerca de 40 anos, que passa por debaixo de uma lanchonete e um posto de gasolina existentes no local. Paralelamente, está sendo construída uma caixa coletora de concreto armado para que seja desviada a nova rede. Dessa maneira, a nova tubulação não passará sob as edificações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *