Presidente da Câmara de Amaturá praticava agiotagem

Amaturá (AM) ­ ─ Demitido logo após a denúncia na qual era obrigado pelo vereador e presidente da Câmara Municipal de Amaturá, Jesus de Nazareno Tananta Carvalho a devolver parte do salário, Josenei Gama (foto) confirmou na manhã desta terça-feira (26), a denúncia feita ao Ministério Público Federal.

Escoltado por soldados da Polícia Militar, Josenei contou aos vereadores presentes o esquema no qual o presidente afastado do cargo, exigia parte dos salários de servidores em troca de emprego. Até mesmo o assessor do presidente, Israel Ruben Castelo Branco devolvia parte do salário pago pelo Poder Legislativo segundo revelou uma fonte da Câmara Municipal.

“Fiz isso porque assisto todos os dias na televisão que a corrupção é um mal nesse país, temos como exemplo a Operação Lava Jato, que prendeu várias pessoas e nós temos por direito de ser honestos. E ninguém me incentivou a fazer isso”, afirmou Josenei aos vereadores presentes em plenário em sessão presidida pelo vereador Luiz Carlos Ferreira Pessoa que assumiu a presidência após o afastamento de Jesus de Nazareno.

Josenei Gama foi convocado a prestar um depoimento aos vereadores a convite dos vereadores Evilásio Rubens e Carlos Pessoa, oportunidade em relatou os fatos.

Comissão Permanente

Segundo o autor do pedido de afastamento de Jesus de Nazareno, conhecido pelo apelido de Nathaca, vereador Evilásio Rubem, os vereadores estão discutindo a instalação da Comissão Processante para cassar o mandato do presidente. “Nós estamos aguardando o advogado para nos orientar”, afirmou Evilásio.

Informações dão conta que todos os servidores da Câmara Municipal eram obrigados a repassarem para o presidente afastado parte do salário. Josenei que é membro da mesma congregação evangélica a qual pertence Jesus de Nazareno era obrigado a repassar mensalmente R$ 800,00 dos R$ 1.820,00 que recebia da Câmara.

Na denúncia ao MPF, Josenei afirma ter entregue parte do salário em dinheiro em espécie referente aos meses de março, abril e maio ao assessor Israel Ruben e o referente ao mês de junho depositado na conta pessoal do assessor.

O dinheiro recolhido era utilizado para o presidente afastado fazer assistencialismo e pagamento de despesas, conforme afirma o próprio Jesus de Nazareno em áudio gravado pelo servidor em 27 de junho cuja cópia está em poder do Ministério Público Federal.
No áudio “Nathaca” eleito para o primeiro mandato, ameaça demitir o servidor por não ter repassado o dinheiro em meio a discussão, no qual participaram ainda Israel Ruben e a da controladora da Câmara Municipal, identificada Alcinea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *